quarta-feira, 30 de junho de 2010

NARRATIVA MÍTICA

Olá, pessoal. Continuo publicando minhas construções discursivas, assim chamadas porque são experimentos textuais que entrecruzam diversos gêneros em amplos horizontes temáticos, isto é, são textos que, através de sua arquitetura estético-temática, pretendem atuar, de algum modo, no debate histórico que caracteriza nossa dicção artística e nossa singular e estranha humanidade. O texto a seguir, intitula-se, como referido, Narrativa mítica. Obrigado pela visita e boa leitura. Abraços. FG
Houve um tempo em que os fandores riscavam os céus mesopotâmicos, cobrindo longas distâncias, de um extremo a outro do Éden. Era simplesmente lindo contemplá-los em seu voo velocíssimo e silencioso. Apenas os grifos e os dragões (não os pterodátilos!) alcançaram semelhante esplendor. Mas infelizmente os fandores foram extintos e desapareceram para sempre daqueles céus longínquos. Não muito tempo depois, e sem qualquer explicação, os noditas surgiram nos céus pós-adâmicos, controlando estranhos engenhos voadores, como que saídos, misteriosamente, das páginas extraordinárias da ficção steampunk.
FERNÃO GOMES

2 comentários:

  1. acho q vc n mostro a realidade devo lhe imforma q vc deve especificar mais para nosso entendimento para q n houva duvida,n q esteja ruim mais parese q falta algo para a enterpretaçao de nossa comunidade,continui .... vo olhar sempre.
    bj

    ResponderExcluir